EVOLUÇÃO DO USO DO SOALHO EM MADEIRA - PASSADO

O Soalho, desde sempre até à era industrial, foi um produto manualmente fabricado. Em Portugal, era designado como "soalho à portuguesa".

Era construido com diversas larguras, para melhor aproveitamento da matéria-prima, sendo esta, oriunda da mata da região onde seria aplicado.

Com o aparecimento da Indústria, aparece também o soalho regularizado na largura, mais estreito - o chamado "soalho à inglesa" - como era denominado no seu país de origem.

Hoje usa-se bastante em obras de qualidade, a tábua corrida de madeira maciça, mas nem sempre resulta num bom produto final, visto não ser usada nas melhores condições e pelas próprias reacções fisicas naturais na madeira.

 

EVOLUÇÃO DO USO DO SOALHO EM MADEIRA - FUTURO

Na última década, sopram novos ventos e ressurge o gosto pelos soalhos de Madeira numa procura dos materiais nobres, sólidos e duradouros ( “...à Antiga”).

Estes, devido à evolução tecnológica, são postos no mercado a preços cada vez mais baixos, sobretudo quando comparados com as soluções tradicionais.

Devido às novas soluções estruturais das lages de betão armado, aos sucessivos aumentos de preço da matéria-prima e à falta de mão-de-obra especializada, quer o taco tradicional, de madeiras nobres, quer a tábua corrida maciça, tão característica das casas antigas, são hoje muito menos utilizados.

Existem agora novas versões destes antigos materiais, também em madeira maciça, mas com uma espessura francamente mais reduzida.
Estas pelo facto de utilizarem menos matéria-prima tornam-se mais económicas.

A Madeira é usada em decoração desde tempos imemoriais, apesar disso, é considerada um dos materiais mais modernos, na opinião dos profissionais em todo o mundo...

 

CARACTERISTICAS DA MADEIRA

/: Possui uma naturalidade que não existe em mais nenhum material;

/: Reflecte uns padrões únicos e cheios de vida;

/: Possui uma eternidade libertadora e adapta-se a todos os ambientes;

/: Combina com todos os materiais.

/: É um dos materiais mais ambientais que existe - BIOARQUITECTURA;

/: É parte viva e positiva do ciclo natural.

/: A sua fabricação é saudável, é quente e confortável e depois de uma longa vida activa pode ser reutilizada ou reciclada.

 

INSTITUTO MACROBIÓTICO

Não é por acaso que os artistas, os escritores e em geral todos os criadores, se fazem rodear de materiais de origem natural.

Os materiais autênticos criam harmonia e dão inspiração. Não é isso que todos nós precisamos na vida de todos os dias?

As alergias e outras doenças das vias respiratórias são, infelizmente cada vez mais comuns. Uma das razões está nos materiais que nos rodeiam.Alguns materiais, como por exemplo as alcatifas, têm caracteristicas propícias para acumular poeiras e ácaros, por mais que as tentemos manter limpas.
Isso contribui geralmente para provocar alergias e outras doenças.

...

Já alguma vez pensou que o quarto do seu filho pode influenciar a sua saúde, rendimento escolar, alegria, criactividade?

O Instituto MACROBIÓTICO, defende que entre outros aspectos igualmento importantes, o uso de Soalho de Madeira, contribui para a qualidade de vida do indivíduo, principalmente, desde a sua infância (”...a madeira é mais saudável e o mais fácil de limpar”).

 

A CONDUTIVIDADE TERMICA DA MADEIRA

A madeira é um mau condutor térmico.

Mesmo sem conhecimento técnico a respeito da condutividade térmica da madeira, esta é uma característica presente no cotidiano das pessoas: aprende-se desde cedo que a madeira age melhor como isolante que condutor de calor. Esta característica física, de baixa condutividade, deve-se principalmente à constituição e organização do tecido xilemático.

As células que compõem a madeira contém elevada proporção de celulose, que é caracterizada como um mau condutor.

Além disso a estrutura do xilema permite o aprisionamento de inúmeras massas de ar em seu interior, funcionando como um conjunto isolante.

A condutividade térmica para qualquer espécie depende do peso específico e do teor de humidade contido na peça de madeira.

Quanto mais alto o peso específico e a humidade maior será a capacidade da madeira em conduzir calor.

Madeiras secas a um teor de humidade constante apresentam melhor desempenho como isolante.

 

Coeficiente de Condutividade Térmica (K)

Denomina-se Coeficiente de Condutividade Térmica (K), o valor atribuído a um dado material que expressa sua capacidade de conduzir calor. Quanto mais alto for este valor, maior poder de condutividade possui o material.

Bauer (1994) denomina coeficiente de condutividade térmica ou transmissão de calor de um material, o número K de quilocalorias que atravessam 1m2 de parede desse material durante uma hora, por metro de espessura é por grau de diferença de temperatura entre as duas faces da parede.

Hoadley (2000) apresenta uma fórmula semelhante, utilizando medidas britânicas, para o cálculo do coeficiente de condutividade térmica na madeira (K):

K = Btu / ft.2 / o F / in

Onde:

K = número de unidades térmicas britânicas - Btu - British thermal units - que irá fluir do material em uma hora, por pé quadrado de superfície de área, pela diferença de temperatura em grau Farenheit do lado mais quente para o lado mais frio, por polegada de espessura.

 

Coeficiente de Resistência Térmica (R)

Conhecendo-se o Coeficiente de Condutividade Térmica é possível calcular o Coeficiente de Resistência Térmica (R), ou seja, a capacidade isolante da madeira.

Para se encontrar R, basta obter K-1 (R=1/K).

As normas da ASTM - American Society for Testing and Materials, utilizadas para o cálculo dos coeficientes de condutividade térmica e resistência térmica são:

ASTM C177 (Steady-State Heat Flux Measurements and Thermal Transmission Properties by Means of the Guarded-Hot-Plate Apparatus);

ASTM C335 (Steady-State Heat Transfer Properties of Horizontal Pipe Insulation );

ASTM C687 (Thermal Resistance of Loose-Fill Building Insulation).

 

Entre os materiais comumente empregados em construção, a madeira é um dos que apresenta os valores mais baixos para condutividade (tabela 1).

Tabela 1: Propriedades térmicas aproximadas de vários materiais de construção.

Material K R
Tijolo
Concreto
Mármore
Aço
Alumínio
Isolantes (fibra de vidro, lã de rocha)  
Madeira seca *
4.5
7.5
17
310
1400
0.2 a 0.3
0.4 a 1.2
0.22
0.13
0.06
0.003
0.0007
3.3 a 5
0.8 a 2.5

* = Considerando o sentido perpendicular à grã.

K= Coeficiente de condutividade térmica. 
Adaptado de Hoadley, 2000.

R= 1/K.

De acordo com a tabela 1, é possível notar que a madeira atua 7 vezes melhor como isolante térmico que o concreto, 300 vezes melhor que o aço e 1.400 vezes que o alumínio. Quando se compara a madeira a materiais produzidos exclusivamente para isolamento (como a fibra de vidro), estes são 3 a 4 vezes mais eficazes.
Não foram encontrados dados relativos ao K e ao R de espécies em particular, apenas intervalos semelhantes ao exposto na tabela 1.


Importância da baixa condutividade térmica da madeira:

Diversas aplicações da madeira estão relacionadas à sua baixa condutividade.

Entre elas é possível destacar:

a) conforto térmico em habitações e em barcos;

b) função isolante protetora: implementos que entrarão em contato com temperaturas adversas, como espetos para churrasco, colher de pau e até mesmo palitos de fósforo.

Além destes usos, muito se busca a madeira quando há a necessidade de uma sensação térmica agradável, principalmente em projetos de arquitetura e design.

Assentos e braços de cadeiras, assim como assoalhos confeccionados em madeira causariam uma sensação real de bem estar superior a materiais como metal e cerâmica, respectivamente.

 

VANTAGENS

Vantagens do estudo de condutividade térmica da madeira:

A respeito do posicionamento geográfico em que a madeira será utilizada como elemento estrutural visando conforto bioclimático, o seu uso em regiões frias está associado à retenção de calor no ambiente e em regiões de clima quente, o seu uso visa uma menor absorção de calor para o interior das construções.

No caso das regiões com clima temperado, o uso de madeira como material de construção tem uma implicação ecológica direta na utilização dos recursos naturais renováveis, uma vez que o emprego de um material com maior capacidade isolante pode resultar numa menor necessidade de outros recursos energéticos (lenha, carvão, gás, electricidade, etc.).

 

O FUTURO DA CONSTRUÇÃO CIVIL -  Madeira / Energia

A madeira é um dos mais bem elaborados materiais de origem orgânica, apresentando um conjunto de características físicas e mecânicas dificilmente encontradas em outros materiais, além de uma inumerável variação de padrões estéticos.

Uma das características físicas da madeira é apresentar baixa capacidade para conduzir calor.

Há três mecanismos essenciais de transporte do calor: a radiação, a convecção e a condução. A transmissão de calor por condução é característica do transporte através dos sólidos. Basicamente a madeira é um mau condutor térmico em consequência de sua estrutura celular (numerosas pequenas massas de ar aprisionadas) e de sua constituição por membranas celulósicas (Petrucci, 1998).

A sensação de calor ou frio depende não apenas da temperatura do objeto tocado mas depende também da capacidade do objeto em absorver e emanar calor. Por exemplo, quando se experimenta tocar em peças de madeira e metal, o calor contido na pele humana é absorvido muito mais rapidamente pelo metal que pela madeira (Hoadley, 2000).

O estudo da condutividade térmica da madeira visa o seu emprego em construções, principalmente estruturas, forros e paredes. Há toda uma linha de pesquisa em arquitetura voltada para o estudo do conforto térmico aliado à um padrão de beleza natural que determinados materiais, tais como a madeira, podem oferecer. Apesar disso, há uma série de outros usos em que a importância do conhecimento acerca da condutividade se faz notar: peças que deverão causar sensação de conforto, como assentos e braços de cadeiras; cabos de ferramentas e utensílios que devem isolar o usuário de fonte de calor ou frio (espátulas, espetos para churrasco, etc.).

Para melhor aplicar a madeira que será submetida a condições de temperatura adversa, é indispensável obter informações a respeito de seu comportamento térmico sob as diversas condições de uso a que estará sujeita, nas quais as variáveis como clima, umidade, direção das fibras, entre outras, refletem influências significativas.

 

O FUTURO DA CONSTRUÇÃO CIVIL -  Madeira / Betão

A Madeira como alternativa na construção de habitações:

Em todo o Mundo existe ainda uma forte tradição construtiva em alvenaria de tijolos. O uso da madeira na construção de habitações deveu-se fundamentalmente nas regiões, onde a matéria prima era abundante.O preconceito em relação à madeira está fundamentado no uso inadequado, problemas de secagem, tratamento, projeto, especificações e outros, aliado ao meio ambiente tropical que acelera a sua deterioração.

Infelizmente, em países em desenvolvimento ainda há a tendência cultural de creditar à madeira um status de produto inferior e temporário quando é empregada na construção de casas. É comum associar pobreza à casas de madeira e bem estar e alto padrão de vida a construções de alvenaria (Szücs, 1998).

A propagação do calor na madeira é maior no sentido paralelo às fibras e menor no sentido perpendicular. Este é um fator adicional e favorável à confecção de revestimentos de madeira em construções visando melhorar o conforto térmico, uma vez que o calor ou frio tenderá a se propagar para o interior ou para fora do ambiente atravessando a madeira.

Havendo uma resistência natural das fibras, haverá consequentemente um incremento de sua capacidade isolante.

Apesar da madeira constituir-se de um isolante térmico de boa qualidade, é necessário ter um especial cuidado com a orientação da casa em relação ao sol, a ventilação a vedação das portas e janelas, e principalmente o isolamento térmico das coberturas. Se estas medidas não forem observadas corre-se o risco de se criar verdadeiras estufas ou congeladores (Laroca, 2001).

Na última década, sopram novos ventos e ressurge o gosto pelos soalhos de Madeira numa procura dos materiais nobres, sólidos e duradouros ( “...à Antiga”).